Ocorreu um erro ao tentar enviar sua mensagem Verifique sua conexão de intenet e tente novamente, caso persista, mande um e-mail para contato@ipplan.org.br

Mensagem enviada com sucesso! Agradecemos o seu interesse. O mais breve possível entraremos em contato.

Artigos

Queremos compartilhar o que temos produzido

VOLTAR

Mais transparência e equidade na saúde

A Prefeitura de São José dos Campos disponibilizou na semana passada, na internet, o Sistema de Consulta de Cirurgias Online, desenvolvido pelo IPPLAN em parceria com a Secretaria de Saúde. O Sistema possibilita ao paciente que aguarda a cirurgia eletiva pelo Sistema Único de Saúde (SUS) o acompanhamento online da sua colocação na lista de espera.

Cirurgia eletiva é aquela em que se é possível escolher a data para realizar o procedimento cirúrgico. Na última quinta-feira, a lista continha 6.871 nomes; todos que entraram nesta relação nos últimos três anos.

Para se chegar à lista, foi necessária uma mudança de paradigma das “filas de espera” da saúde. Como o adoecer é um processo que cria um fluxo continuado, não é possível “zerar” as filas. A solução para esse problema passa por compatibilizar a oferta de atendimento com a demanda. Se houver uma oferta de vagas equivalente à demanda, não existirá um estoque de pessoas esperando mais que o tempo necessário para o atendimento acontecer.

Em última instância, o que leva a criação de um estoque de pessoas não atendidas, gerando filas, é a capacidade do SUS ofertar serviços de saúde compatíveis com a demanda da população, que depende também de outros fatores como limitações financeiras, quantidade de leitos disponíveis, médicos especializados para o atendimento etc.

Nos últimos anos, a Prefeitura tem realizado um grande esforço para melhorar a gestão e estabelecer esse equilíbrio entre a demanda e a oferta, além de resolver o passivo resultante de um estoque acumulado em anos passados, procurando tornar mais transparente e acessível ao cidadão que espera atendimento de saúde e propiciar equidade no acesso aos procedimentos, já que não é possível resolver o déficit de atendimento de imediato.

Por isso, o processo de construção do sistema desenvolvido pelo IPPLAN utilizou a ferramenta de Tecnologia da Informação (TI) conhecida como Business Intelligence (BI). O BI analisa os dados a partir de um algoritmo, que é uma formula matemática, organizando a lista de acordo com as prioridades estabelecidas pelo gestor e regula o fluxo entre a demanda e a oferta do serviço de saúde, no caso, as cirurgias eletivas.

A lista é dinâmica, ou seja, segue uma classificação que estabelece prioridades de acordo com o risco. Também, a Secretaria de Saúde estabelece uma proporcionalidade de cirurgias para cada nível de risco, evitando que a entrada de novos pacientes com maior prioridade na lista não inviabilize o atendimento aos de baixa prioridade em um tempo adequado.

Em 2013, quando a Secretaria começou esse trabalho, havia uma grande demanda para a realização das cirurgias eletivas e um desconhecimento do tamanho e das prioridades na lista de espera, além de não existir uma lista única, com cada prestador gerenciando a sua própria lista. Havia pacientes esperando a cerca de dez anos por cirurgia.

No início de 2014 foi dado um passo importante com a transferência da Central de Agendamento da Prefeitura para o Ipplan e a informatização das sistemáticas para agendamento de consultas, exames e avaliação cirúrgica.

A etapa seguinte foi unificar o cadastro dos pacientes. Para isso, foi preciso implantar o Sistema de Atendimento Municipal de Saúde (SAMS) nos Hospitais Municipal, Pio XII e Antoninho da Rocha Marmo. Após essa fase, foi necessário realizar a classificação das cirurgias por prioridades, que foram categorizadas em muito alta, alta, média e baixa. Esses procedimentos de classificação seguem os protocolos do SUS e da Organização Mundial de Saúde.

A última etapa, realizada em julho deste ano, foi apresentar para validação do Conselho Municipal de Saúde (Comus) o sistema, suas ferramentas e critérios para a lista.

Todo esse trabalho também dá condição para que em um futuro breve seja possível disponibilizar as listas de espera para a avaliação, consultas e exames. Isso, certamente, irá representar um passo importante para mais transparência e equidade no atendimento de saúde no município.

CÉLIO CHAVES é diretor do Ipplan

 

Veja também